Seu gato acha que você é um gato gigante

Tem gente que diz que tem um gato ou cachorro que pensa que é gente. É uma ideia realmente muito mais divertida, mas de acordo com o biólogo John Bradshaw, autor de Cat Sense, a verdade é que seu gato é quem pensa que você é um gato gigante e muito dócil. Agora que ele falou faz sentido, né?

Bradshaw estuda o comportamente de animais domésticos há 30 anos e também é autor de Dog Sense, um best-seller do New York Times sobre o comportamento de cachorros ao redor de humanos. Em Cat Sense, ele explica que raças de gatos nunca foram cruzadas com intenção de torná-las mais dóceis – o objetivo sempre foi unicamente gerar gatos mais bonitos. Por isso eles são menos domesticados que os cachorros e agem, frequentemente, de maneira muito mais selvagem e instintiva.

gatos-04[1]

A aparente indiferença felina, de acordo com Bradshaw, é só fachada. Gatos não são tão blasé quanto parecem: para ele, gatos experimentam sim emoções extremas mas sofrem em silêncio.

O autor explica também que quando um gato se esfrega na sua perna, por exemplo, ele está tratando a você exatamente como trataria outro gato para mostrar afeto. E deixar ratos mortos pela casa não é um sinal de que ele quer te alimentar, mas só uma tentativa de levar a caça pra um lugar seguro – só que dai ele dá uma mordida, lembra que a ração tem um gosto muito melhor e desiste.

cacando[1]

E nossa maneira de lidar com os gatos está acidentalmente tornando-os mais selvagens por seleção natural. É que castrar os gatos domésticos, enquanto os gatos de rua continuam se reproduzindo, é justamente o que gera descendentes mais selvagens: aqueles mais desconfiados dos humanos e melhores caçadores.

Gato+Rocando+Perna

[Galileu]